Foto: Gabriel de Andrade Fernandes/Flickr – Fonte

O que o Google e o Facebook têm em comum? Além de estarem entre as grandes líderes mundiais em tecnologia e internet, ambas as empresas são produtos do Vale do Silício, a região da Califórnia, nos Estados Unidos, que concentra as grandes empresas de tecnologia e as startups que seguem revolucionando o setor. Em São Paulo, Google e Facebook também estão localizadas no mesmo vale, no caso o vale do Rio Pinheiros. O bairro do Itaim Bibi, localizado na área plana que margeia o Rio Pinheiros, na região sudoeste da capital paulista, evoluiu muito desde suas origens humildes, na época em que a várzea do Rio Pinheiros e de seus afluentes, como os córregos Uberaba e do Sapateiro, alagava com as chuvas.

Hoje, o Itaim é um dos bairros mais valorizados de São Paulo, sede de grandes empresas como as já citadas Google e Facebook e outras líderes do setor de tecnologia, finanças e publicidade, possui alguns dos melhores restaurantes e bares de São Paulo, um comércio diversificado e fácil acesso aos principais pontos de interesse da cidade.

História e valorização do Itaim Bibi

Já contamos aqui no blog um pouco da história do Itaim Bibi. A área conhecida como “Chácara Itahy”, foi comprada família Couto de Magalhães no final do século 19 e loteada no início do século 20 por Leopoldo Couto de Magalhães Júnior, o Bibi, que emprestou seu apelido ao bairro. Como na época a região era distante do centro e atingida pelas inundações na várzea do rio Pìnheiros,  os terrenos não eram valorizados, e a área foi ocupada por imigrantes pobres, principalmente italianos, espanhóis e portugueses, e negros descendentes de escravos. A região foi se desenvolvendo no decorrer do século 20, com um núcleo comercial surgindo entre as ruas Tabapuã, Joaquim Floriano, Doutor Renato Paes de Barros e João Cachoeira, mas foi na década de 1970, com a canalização do Córrego do Sapateiro e a construção da Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, que começou o primeiro boom de valorização da região.

O Itaim começou a se verticalizar, primeiro com a construção de diversos condomínios residenciais voltados a famílias de classe média/média alta. Isso fez com que o comércio do bairro se diversificasse e ficasse mais sofisticado. Bons restaurantes, bares e casas noturnas badalados, lanchonetes como as hoje clássicas Milk & Mellow, New Dog, Hamburguinho e Joakin’s, lojas de grife, supermercados e magazines como o famoso Mappin, na rua João Cachoeira, acompanharam a valorização do bairro.

Já na década de 1990, com o prolongamento da Avenida Brigadeiro Faria Lima, entre a Avenida Cidade Jardim e a Juscelino Kubitschek, houve o segundo boom de valorização no Itaim Bibi, desta vez com foco nos imóveis comerciais. Grandes edifícios espelhados surgiram e passaram a abrigar alguns dos principais bancos de investimento, corretoras, agências de publicidade e também empresas de tecnologia, segundo a tendência de desenvolvimento econômico do chamado “eixo sudoeste” de São Paulo, que passa pelo Itaim, Vila Olímpia e chega o Brooklin, no eixo da Marginal Pinheiros e das avenidas Faria Lima, JK, rua Funchal e avenidas Luís Carlos Berrini e Dr. Chucri Zaidan. A modernização da linha férrea que acompanha o Rio Pinheiros, a Linha  9 – Esmeralda da CPTM, facilitou ainda mais o acesso à região, bem servida de ônibus.

O Itaim Bibi hoje

Um símbolo que une o passado rural ao presente tecnológico do Itaim é a Casa Bandeirista, antiga sede da Chácara Itaim, feita em taipa de pilão no século 19 e que foi totalmente restaurada, mantendo as características originais, sob a sombra do enorme prédio envidraçado que sedia o Google, na Rua Iguatemi. A uma quadra dali, na esquina das ruas Clodomiro Amazonas e Leopoldo Couto de Magalhães, fica a sede do Facebook no Brasil. Do outro lado da rua, outro ponto histórico do bairro: o bar Mestre das Batidas, fundado em 1963, serve ótimas batidas e petiscos desde a inauguração. Na região o que não falta são bons bares, de botecos clássicos como o Botequim do Hugo, na rua Pedroso Alvarenga, que ocupa uma casa construída na década de 1920 repleta de badulaques antigos, a pontos badalados de paquera como o Vaca Véia, também na Pedroso, esquina com a Manuel Guedes, e o Tatu Bola, na esquina da Clodomiro com a Joaquim Floriano. Para palades mais refinados, o gastropub Camden House serve a melhor cozinha de bar de São Paulo, segundo o guia da revista Veja SP, com destaque para a costelinha ao molho barbecue, e o Peppino Bar prepara drinques autorais de alto nível.

Além das hamburguerias clássicas, novas casas como o General Prime Burger e o Butcher’s Market grelham burgers suculentos. Mas as opções culinárias vão muito além, e o Itaim Bibi é considerado o bairro com maior concentração de bons restaurantes de São Paulo. A Rua Amauri, próxima à Faria Lima, Cidade Jardim e Nove de Julho, já é há um bom tempo um dos principais polos gastronômicos paulistanos, e nela ficam o Parigi, casa de sotaque francês do grupo Fasano, e Forneria San Paolo, do mesmo grupo, que serve sanduíches à italiana.

Mas em todo o bairro a oferta de bons restaurantes impressiona. Freddy e Le Vin representam a culinária francesa clássica, enquanto La Tambouille, Kaá e Cantaloup servem criações mais contemporâneas. Entre os italianos, destaque para Nino Cucina, Due Cuochi, Pomodori, Modern Mamma, o imenso mercado italiano Eataly, que tem vários restaurantes para comer por lá e ingredientes de primeira para levar pra casa, e o Jamie’s Italian, casa do chef celebridade Jamie Oliver. Tem ainda os portugueses Taberna da Esquina e Tasca da Esquina, do chef Victor Sobral, os asiáticos Tian, Aoyama, Nagayama e Ohka, o árabe Manish… Ufa! Se sobrar espaço para a sobremesa, as sorveterias italianas Davvero, Cuordicrema e Dolci Magie estão entre as melhores da cidade.

O primeiro shopping de São Paulo, o Iguatemi, foi inaugurado em 1966 na Avenida Faria Lima e em 2012 ganhou um “irmão mais novo” ainda mais elegante, o JK Iguatemi, na Juscelino Kubitschek. Em 2008, a região, que fica próxima ao Parque Ibirapuera, ganhou outra bela área verde: o Parque do Povo, que fica entre a Marginal Pinheiros, Cidade Jardim e JK, e possui ciclovia, pista de corrida e caminhada, quadras e parque infantil com brinquedos, tudo com ótima infraestrutura.

Itaim em números

Em uma área de apenas 2 km², o Itaim Bibi concentra 313 restaurantes, 263 bares e lanchonetes, 39 farmácias, 17 padarias e 11 supermercados. A região possui mais de 150 edifícios comerciais e quase 200 residenciais, com o valor do metro quadrado entre os mais altos de São Paulo. Para se ter uma ideia, o aluguel de um espaço corporativo de 500 m² pode superar os R$ 50 mil por mês.

Você deve estar pensando que seria ótimo trabalhar no Itaim e estar próximo dos gigantes da Era da Informação Google e Facebook e outras empresas inovadoras, numa região de fácil acesso e repleta de boas opções para comer e se divertir, com comércio e serviços diversificados. Mas deve estar achando também que é impossível pagar por um escritório na região. Mas podemos ajudar. A GOWORK é a maior rede brasileira de espaços de coworking, com soluções para profissionais autônomos, startups e pequenas empresas trabalharem nos endereços mais concorridos de São Paulo, como o Itaim Bibi, pagando muito menos do que você imagina.

Nosso espaço no Itaim Bibi, o primeiro que abrimos em São Paulo, em 2012, fica na Rua Amauri, 116, próximo a grandes eixos de transporte como as avenidas Faria Lima, Cidade Jardim e Nove de Julho e a todas as atrações do Itaim Bibi que mostramos aqui. Na Gowork você pode ter sua mesa de trabalho num escritório compartilhado, uma sala privativa ou até um escritório virtual, podendo ter o endereço mais valorizado de São Paulo no seu cartão de visitas e alugar uma sala para reuniões. Entre em contato com nossos especialistas para comprovar como é possível trabalhar no Itaim Bibi!

Enquanto isso, confira o vídeo do Estadão que mostra um pouco desse que é um dos bairros mais desejados de São Paulo.