A COVID-19 chegou ao Brasil e mudou todo o modo de viver e trabalhar dos brasileiros.

Empresas tiveram que fechar as portas, e a opção encontrada foi o trabalho remoto, com os funcionários em home office. Esse novo formato possibilitou a permanência de muitas empresas no mercado e vem contribuindo para que as coisas funcionem.

Mas as dificuldades começaram a surgir. Nem sempre o colaborador tem o equipamento adequado, a conexão da internet pode falhar; a estrutura do espaço é desconfortável, falta de controle na supervisão das tarefas sem contar com a falta do networking.

Para sanar essas questões, empresas passaram a buscar por uma nova alternativa, e encontraram no coworking uma esperança para o retorno das atividades. O espaço acaba sendo um espaço mais adequado para o trabalho, onde as empresas podem migrar suas sedes para um local com ampla cobertura de serviços, espaços compartilhados e a possibilidade de redução de custos.

No dia 01 de junho, o Governo de São Paulo iniciou o processo de retorno da economia do Estado e divulgou quais medidas de prevenção deveriam ser tomadas, como por exemplo: distanciamento social, cuidado com a higiene pessoal e do local de trabalho, entre outras medidas.

Veja abaixo, quais medidas alguns dos principais Coworkings aderiram para o retorno às atividades.

Regus Coworking SP

A Regus, coworking fundado em Bruxelas, também anunciou que tomou algumas medidas para o retorno das atividades, como:

  • Limpeza frequente;
  • Distanciamento físico;
  • Sinalizações visíveis;
  • Suporte feito seus colaboradores;
  • Reuniões seguras com distanciamento social;
  • Controle de visitas para não criar aglomeração.

Os espaços de escritórios exclusivos começam com preços a partir de R$ 1.909,00. Para você utilizar aleatoriamente os espaços da Regus, seja uma reunião ou um espaço no coworking, você pagará a partir de R$ 949,00.

GOWORK Coworking SP

A GOWORK, coworking fundada no Brasil e que possui orgulho em ser brasileira, criou uma página especificamente para detalhar todas as medidas providenciadas para que seus clientes retornem com segurança. Veja abaixo:

  • Limpeza com produto utilizado amplamente em hospitais de ponta, biodegradável e não necessita de enxágue;
  • Salas com proteções frontais e em layout U;
  • Utilização de luz UV (ultravioleta) é capaz de inativar 99,99% dos micro-organismos em questão de segundos;
  • Álcool em Gel 70% espalhados por todos os andares das unidades;
  • Ar condicionados com filtros ultravioletas para matar os micro-organismos;
  • Materiais descartáveis, como por exemplo, copo para o café.

A GOWORK informou também que se espelhou nas medidas de segurança e higienização dos escritórios de países onde obteve-se os melhores resultados no controle de contaminação, como na Alemanha e Suíça.

Além disso, oferece mais de 40 benefícios aos seus clientes. O serviço é considerado all inclusive, com salas de reunião, impressoras, endereço fiscal, móveis, café, iluminação diferenciada, ar condicionada, internet de alta velocidade. Toda a estrutura que a sua empresa ou o seu negócio precisa para decolar.

Além de oferecer CUSTO BENEFICIO adequados com a realidade brasileira.

As pessoas que desejam alugar espaços compartilhados em Coworkings de São Paulo, devem pesquisar quais empresas estão dedicando seriamente para proteger as pessoas da COVID-19.

Veja abaixo a tabela das recomendações feitas pela OMS e que foram colocadas em prática pelos principais Coworking de SP:

Medidas de segurança realizadas pelos principais Coworkings de São Paulo

GOWORKRegus
Mesas flexíveisSimSim
Salas de reuniões arejadas e sem uso da capacidade totalSimSim
Ambientes mais espaçadosSimSim
Filtros UVC nos ar condicionadosSimNão
Luz ultravioleta para inativar microrganismosSimNão
Higienização dos elevadoresSimSim
Salas com janelas abertas para circulação de arSimNão