Um país de 8 milhões de pessoas que se tornou um dos principais centros de inovação do planeta

 

Nem todos sabem, mas este pequeno país do Oriente Médio, polo religioso das três principais religiões monoteístas e famoso por seus conflitos políticos e armamentícios é hoje reconhecido como uma das nações mais empreendedoras do mundo e o lugar propício para a criação Startups.

De acordo com uma pesquisa da empresa Startup “Genome”, Tel Aviv é a segunda melhor cidade do mundo para as Startups, e não para por aí. Além de ser o terceiro país com maior número de empresas deste perfil na Nasdaq, atrás apenas de EUA e China, Israel é considerado o terceiro país do mundo no indicador que mede envio de conhecimento e tecnologia.

No ano de 2013, segundo dados da Israel Venture Capital havia, apenas na cidade de Tel Aviv, cerca de 4800 Startups. O caso mais famoso e provavelmente de maior sucesso de uma Startup criada em Israel é do Waze. Fundado em 2008 por Uri Levine, Ehud Shabtai e Amir Shinar, o aplicativo ganhou o prêmio de melhor aplicativo portátil de 2013 no Congresso Mundial de Portáteis e foi vendido para o Google, no mesmo ano, por US$ 966 milhões.

Coworking Gowork - Israel Empreendedora Porque existem tantos empreendedores em Israel?

Existem alguns motivos que tornam o país, um dos lugares mais empreendedores do mundo e tudo começa na durante a infância de crianças israelenses. Desde pequenos os cidadãos de Israel são estimulados pelo governo, nas escolas e por seus pais a pensarem de forma inovadora e não aprendendo apenas a reproduzir o que aprendem. Ainda sobre educação, é importante ressaltar que o país oferece ensino de qualidade. Resultado disso é uma alta qualificação da população. Cerca de 80% dos empreendedores israelenses possuem mestrado e 40% têm doutorado.

Além do fator educação, fundamental para a evolução do nível intelectual da população, o governo do país também favorece o cenário empreendedor. Em Israel uma empresa é aberta em apenas 14 dias e conta com linhas de crédito especiais para novos negócios.

Apesar de uma política pública favorável e de uma cultural empreendedora já enraizada, talvez o fator que mais diferencia Israel dos demais países no quesito inovação e empreendedorismo é a passagem da população pelo exército. Lá os cidadãos israelenses são estimulados a desenvolver ideias inovadoras para as áreas de segurança da informação, comunicação, guerra eletrônica e criptografia. Quando voltam para à realidade cotidiana, estes jovens estão mais prontos estimulados do que nunca para empreender.