Todos sabem que a flexibilização do distanciamento social exige cautela; afinal, o vírus continua circulando e é necessário que qualquer empresa repense como fazer com que essa volta ao trabalho seja reorganizada de maneira responsável.

De acordo com uma pesquisa realizada pela ISE Business School, 80% dos gestores disseram que irão continuar trabalhando remotamente. Muitas organizações já estão decididas que podem sobreviver com seus funcionários trabalhando no formato home office.

Mas segundo estudo realizado pela Universidade de Stanford, 50% dos colaboradores que trabalham em Home Office queriam voltar ao trabalho presencial. Ou seja, metade. E isso pode complicar na hora de motivar a equipe e manter a credibilidade da empresa.

Por isso, diversos escritórios estão se adaptando ao novo normal, em especial, os coworkings, para os gestores ganharem confiança e retornar ao dia-a-dia no escritório.

O que mudou na estrutura física dos escritórios?

A necessidade de adaptação já fez com que coworkings repensem, juntamente com arquitetos e consultores sanitários, os conceitos dos escritórios, que devem ter mais espaço entre os trabalhadores, janelas abertas e foco total na higiene.

Enfim, aquela pausa para o cafezinho e o bate-papo com os colegas de trabalho no escritório devem ficar para trás.

A GOWORK, por exemplo, retornou os trabalhos em seus escritórios compartilhados com três pilares: distanciamento, higienização e sinalizações.

A recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) é distanciamento de cerca de 1,80 m entre as pessoas, a sala de reunião de seis lugares fica com apenas dois lugares. Na copa fica a mesa de quatro para um, e outros locais também tiveram que mudar dinâmica.

O que a Athié Wohnrath (AW) recomenda para o retorno aos escritórios?

A Athié Wohnrath, uma das maiores empresas de arquitetura de ambientes corporativos do Brasil, recomenda que os locais de trabalho tenham uma filtragem de ar, com equipamentos sofisticados, como:

  • Mesas flexíveis;
  • Salas de reuniões mais arejadas;
  • Ambientes mais espaçosos.

Em pesquisa apontada por Ivo Wohnrath, CEO da Athié Wohnrath (AW), apesar do trabalho remoto ser bem aceito, imagina-se que não será tão grande assim. Além de muitas pessoas terem relatado sentirem-se mais solitárias ou, inclusive, abandonadas pelas empresas, algumas atividades são mais eficazes ou até essenciais de maneira presencial.

Como a GOWORK se adaptou ao novo normal?

Segundo o founder, Fernando Bottura, a prioridade da Gowork é o bem-estar de seus colaboradores, clientes, fornecedores e parceiros no ambiente corporativo, “adotamos medidas de segurança e higienização baseadas em melhores práticas realizadas nos escritórios de países onde obteve-se os melhores resultados no controle de contaminação, como na Alemanha e Suíça.”, contou Fernando.

Veja abaixo a tabela das recomendações feitas pela Athié Wohnrath (AW) arquitetura corporativa e o que a GOWORK recomenda e colocou em prática.

Medidas de segurança recomendadas em escritórios de arquitetura corporativa

Athié Wohnrath (AW)GOWORK
Mesas flexíveisSimSim
Salas de reuniões arejadas e sem uso da capacidade totalSimSim
Ambientes mais espaçadosSimSim
Filtros UVC nos ar condicionadosNãoSim
Luz ultravioleta para inativar microrganismosNãoSim
Higienização dos elevadoresNãoSim
Salas com janelas abertas para circulação de arNãoSim

Para saber mais sobre como a GOWORK se preparou para o retorno, clique aqui.