No Brasil, quando se pensa nos melhores pólos comerciais para realizar negócios e criar networking, é impossível não se lembrar de São Paulo.

A capital paulista, que ultrapassou a casa dos dez milhões de habitantes há alguns anos, têm nos bairros que rodeiam a Avenida Paulista, como Consolação, Bela Vista, Jardins e Paraíso, seu principal centro para negócios comerciais. Pinheiros, Itaim Bibi, Brooklin e Vila Olímpia finalizam a lista dos locais com os mais caros imóveis para alugar.

De acordo com o levantamento produzido pelo Imovelweb, em São Paulo, o preço médio do metro quadrado na capital paulista cresceu 0,3%, chegando a R$ 6.328.

Sala comercial ou Coworking?

Uma sala comercial tradicional é aquela que você compra ou aluga, tendo mais poder de decisão sobre o espaço em si. Por isso, um escritório próprio, inevitavelmente, possibilita uma maior liberdade de escolha na hora de construir e decorar o local.

Já os coworkings são ambientes de escritórios e espaços compartilhados. Ou seja, uma rede é proprietária do edifício ou andar e outras empresas sublocam salas ali. Os residentes também podem personalizar suas salas, mas com um pouco menos de liberdade do que se fossem de sua propriedade

Como funciona o aluguel de Coworking em São Paulo?

Coworking é uma nova forma de pensar o ambiente de trabalho. Seguindo as tendências do freelancing e das start-ups, os coworkings reúnem diariamente milhares de pessoas a fim de trabalhar em um ambiente inspirador.

No coworking, você encontra ambientes especialmente pensados para o trabalho autônomo, muito networking com pessoas de diversas áreas e toda a estrutura para receber seus clientes com um custo menor do que teria ao alugar uma sala comercial.

A mudança de escritório pode trazer um respiro para empresas desgastadas, desde que ela seja bem planejada, mas é preciso colocar na balança os problemas de produtividade e localidade que isso vai causar. 

Como está o aluguel comercial em São Paulo?

A pandemia aumentou o número de imóveis comerciais vagos nos maiores centros urbanos do país.

A taxa de vacância de imóveis vazios que nos bons tempos foi de 10%, alcançou 18% na crise e atingiu 30% em 2020 no estado de São Paulo, segundo a associação do setor. Na capital, 220 mil metros quadrados de escritórios foram devolvidos só no primeiro trimestre, segundo pesquisa de análise desse mercado.

Por isso, muitos empreendedores têm optado na contratação de coworkings.

O aluguel de escritório em São Paulo perdeu espaço para o home office e os coworkings podem ajudar a facilitar o dia-a-dia dessas empresas.

Gowork cria Home office flexível SP

A GOWORK criou o HomeFlex Office para garantir que sua produtividade não seja afetada no seu dia a dia.

Esse novo serviço dá a possibilidade de trabalhar em um ambiente disruptivo, descontraído e criativo por até 3 vezes na semana e ainda proporciona a credibilidade para seu escritório ter um endereço fiscal em um dos maiores centros empresariais de SP.

Além disso, oferece atendimento personalizado para os seus clientes, salas de reunião, recebimento de correspondência, o ambiente criativo e colaborativo e toda a facilidade que o coworking oferece.

Saiba mais, clicando aqui.