SERVIÇO STREAMING DEVE SER O FUTURO DO MERCADO DA MÚSICA

Empresas como Spotify e Youtube Music brigam por um consenso entre música gratuita e rentável

A indústria fonográfica passa por mais uma revolução: a das músicas ouvidas no modo streaming. As empresas focadas nesse sistema não param de evoluir, e as polêmicas também.
Coworking-Gowork-18-12-15-Blog-Startups-YoutubeSpotify

A maior preocupação da indústria é com a rentabilidade adquirida a partir da música, que nos últimos anos foi atacada drasticamente pela pirataria online.

Empresas como Spotify aparecem para resolver o problema tanto do lado dos consumidores, que não querem pagar tanto para ouvir música, quanto dos músicos e gravadoras, que querem um retorno financeiro.

Com um de seus serviços gratuitos, o que torna o Spotify rentável é a arrecadação de dinheiro por meio de publicidade. Ou seja, quem quiser escutar música gratuita, terá de se sujeitar a ouvir intervalos com propaganda.

Youtube Music

Nos Estados Unidos, mais uma empresa decide apostar no serviço de streaming: o Youtube Music, da gigante Google.

O serviço vem como alternativa ao Spotify e à Apple Music, porém, com a novidade de transmissão de vídeos.

Como o Spotify, o Youtube Music oferece um serviço gratuito, com a publicidade como principal forma de receita; e pago, que livra os consumidores das propagandas durante a reprodução.

Futuro do mercado

Para garantir um futuro que todos possam ouvir músicas e ao mesmo tempo quem a produz ganhar com isso, será preciso estudar cada vez mais modelos que satisfaçam estes dois lados da moeda.

E, atualmente, quem parece comprar essa luta, e conseguir bons resultados, são exatamente essas empresas de serviço em streaming.