Não existe mais a possibilidade de regresso para as empresas tradicionais e tampouco novidade quanto aos caminhos que se seguem atualmente com os novos modelos de escritório existentes no Brasil e no mundo. O cenário social, político e econômico ajudaram nesta transformação dos moldes dos trabalhos tradicionais, para o que vivemos hoje com as empresas de coworkings.

Empresas de coworking seguem espalhadas pelo Brasil e ainda sendo um meio que viabiliza o conforto e a localização para as empresas de pequeno,médio ou grande porte, se incluí neste “novo” seguimento startups, freelancers e profissionais autônomos que demonstram grande interesse pelas vantagens que o coworking oferece.

Após o extenso período de crise mundial, estamos entrando em reaquecimento da economia, o que ajuda as empresas que conseguiram se manter na crise a enxergarem no coworking a maneira mais eficiente de reduzir seus custos e ao menos tempo proporcionar aos seus funcionários um ambiente com conforto, bem-estar e ótima localização.

Com tudo isso a grande mídia também volta seu interesse para a questão. É o caso do VALOR econômico, conceituado jornal de economia, que fez um extensa matéria sobre o crescimento do segmento de outsourcing de escritórios para grandes empresas.

Separamos para você um trecho da matéria de Letícia Arcoverde para o jornal. No excerto, você vai conhecer a história da Fundação Estudar que contrato o serviço de BUILT-TO-GO da GOWORK.

“A Fundação Estudar moveu a equipe de 50 pessoas de um coworking no Brooklin, em São Paulo, onde dividia o espaço com outros profissionais e empresas, para um prédio na Rua dos Pinheiros, onde ficou mais próximo do metrô, de ONGs e da Fundação Lemann. Marina Andrade, gerente de operações da Fundação Estudar, conta que eles viram cerca de 25 opções antes de escolher o novo escritório, entre espaços próprios e outros coworkings. O GoWork chamou a atenção pela possibilidade de ter um local com a cara própria e por ser brasileiro. Em um período de crise no mercado de escritórios, Bottura diz que os coworking são visados como “ótimos” inquilinos, por terem ocupação constante, sem intervalo entre o fim do contrato de uma empresa e início da outra, e porque com frequência precisam crescer em andares. A atratividade gera boas condições nos aluguéis. ”

Para ler a matéria completa acesse: http://www.valor.com.br/carreira/5431447/coworking-atrai-companhias-maiores

E caso você queria saber mais sobre Built-to-suit, Office as a service e outsourcing de escritórios https://www.gowork.com.br/built-to-suit/

Por hoje é isso. Espero que tenham gostado 😉